quarta-feira, dezembro 12, 2012

Projeto Guri apresenta espetáculo “Calungá”, com Naná Vasconcelos, no Teatro Sergio Cardoso

Apresentação acontece dia 16/12 (domingo), às 17h, com entrada gratuita e marca lançamento do DVD do espetáculo, que também será distribuído gratuitamente aos espectadores

“Calungá”, palavra de origem africana que, entre alguns significados, quer dizer travessia por mar, foi o nome escolhido para dar título ao espetáculo que o Projeto Guri, programa de formação musical do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura, apresentará no dia 16 de dezembro (domingo), às 17h, no Teatro Sergio Cardoso, com o percussionista Naná Vasconcelos. O espetáculo “Calungá – O mar que separa é o mar que une”, aborda o universo afro-brasileiro e evoca a travessia dos escravos negros até o Brasil. O mesmo mar que os separou de seu continente, uniu povos e agregou influências, deixando como herança a contribuição para a formação da identidade cultural brasileira.
Mais de 2 mil pessoas já assistiram ao espetáculo, em apresentações realizadas em junho e julho deste ano nas cidades de Santos, Sorocaba, São José dos Campos e São Paulo. A nova apresentação, gratuita ao público (ingressos devem ser retirados na portaria do teatro uma hora antes do show), marcará o lançamento do DVD “Calungá – O mar que separa é o mar que une”. O DVD, gravado no Auditório Ibirapuera, no dia 13 de julho, traz a íntegra do espetáculo, além de extras com entrevistas e making of. Cada espectador que comparecer à apresentação do dia 16 receberá um DVD gratuitamente.
Com direção geral do percussionista Chico Santana, gerente artístico do Projeto Guri, o espetáculo apresenta arranjos inéditos elaborados a partir do álbum de 1982, “Canto dos Escravos”, que traz Clementina de Jesus, Tia Doca e Geraldo Filme interpretando cantigas ancestrais dos negros trabalhadores de mineração em São João da Chapada, Diamantina (MG). O repertório conta também com composições do próprio Naná Vasconcelos, além de outras canções.
Participam do projeto 39 guris das cidades de Cerquilho, Guareí, Ibiuna, Itú, Piedade, Pilar do Sul, Salto, São Roque e Sorocaba – todos integrantes do Grupo de Referência de Sorocaba, que reúne estudantes de desempenho artístico mais avançado.

Caso tenha interesse em fotos em alta, entrar em contato com a Lead Assessoria.

Calunga – O mar que separa é o mar que une
Quando: 16 de dezembro (domingo), às 17h
Onde: Teatro Sergio Cardoso – Rua Rui Barbosa, 153 - Bela Vista
Grátis
Obs.: Para credenciamento de imprensa, entrar em contato pelo tel. 3168-1412 ou e-mail grazielly@lead.com.br. No dia do espetáculo, haverá ensaio e passagem de som que poderão ser acompanhados pela imprensa. 
Naná Vasconcelos
Naná Vasconcelos, músico brasileiro, nasceu em Recife, capital de Pernambuco. Desde jovem, envolveu-se com os tambores nos movimentos de maracatu locais. Naná aprendeu a tocar praticamente todos os instrumentos de percussão, embora nos anos 60 tenha se especializado no berimbau, instrumento de origem africana.  O músico morou em Paris e Nova York, e dentre as suas diversas apresentações, teve destaque no Festival de Montreaux, na Suiça. Além disso, Naná tem uma extensa carreira no exterior. A partir de 1967 ele atuou como percussionista ao lado de diversos nomes de peso como B.B. King, Jean-Luc Pontu, Jon Hassel, Egberto Gismonti, Pat Metheny, Evelyn Glennie e Jan Garbarek. Formou entre os anos de 1978 e 1982, ao lado de Don Cherry e Collin Walcott o grupo de jazz Codona, com o qual lançou 3 álbuns.  Seu CD mais recente, intitulado “Trilhas”, foi lançado em 2006.



Sobre o Projeto Guri
O Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e funciona hoje como a base da formação musical do Estado de São Paulo. São milhares de guris, centenas de polos e 16 anos de um trabalho que tem na música seu instrumento de transformação e, nos guris, sua obra-prima.
O Projeto Guri é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo e é administrado por duas organizações sociais ligadas à Secretaria de Estado da Cultura. Os mais de 360 polos distribuídos pelo interior e litoral do Estado, com mais de 40 mil guris, são dirigidos pela Amigos do Guri, enquanto a gestão das unidades da Capital, com 18 mil guris, em 48 polos, é realizada pela Santa Marcelina Organização Social de Cultura. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural.
A Amigos do Guri, organização social de cultura, compartilha com a Secretaria de Estado da Cultura a gestão do Projeto Guri desde 2004. Além do Governo do Estado – seu idealizador – a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas.

Postar um comentário